[Resenha] Autoras Estreantes – Confissões de uma Adolescente Grávida e (In)Verdades

Saiba um pouco mais sobre as obras das autoras estreantes Graciela Paciência e Lu Ain-Zaila.

Confissões de uma Adolescente Grávida (Graciela Paciência)

Confissões de uma Adolescente Grávida traz a história de Mirella, uma garota de 16 anos que descobre estar grávida do seu namorado.

Como o próprio título indica, o livro trata das experiências da Mirella, junto com os anseios e inseguranças que uma gravidez não planejada podem trazer na vida de uma jovem ainda adolescente. Narrada em primeira pessoa, a história tem o formato de um diário, o que é interessante para entender o que se passa na cabeça da protagonista.

Mirella é uma jovem de classe média que vive uma vida bastante privilegiada. Sua família não passa por dificuldades financeiras e seus pais aceitam a sua gravidez sem grandes afetações – assim como o seu namorado, que está super disposto a fazer a sua parte. Ou seja, a história de Mirella é uma grande exceção, e é bacana que a protagonista reconhece isso várias vezes.

Nesse sentido, a história de Mirella é otimista na maior parte do tempo, e o que o livro apresenta são questões relacionadas às inseguranças da protagonista para assumir o papel de mãe sendo tão jovem, assim como o julgamento das pessoas ao seu redor. Com isso, algumas questões muito relevantes são levantadas, como o controle da sexualidade feminina e as diferenças entre o que sociedade espera de mães e de pais. Além disso, apesar de curtinho, o livro também apresenta várias reviravoltas que fazem o leitor refletir sobre a imprevisibilidade da vida e a necessidade de se estar sempre disposto a se adequar a novas circunstâncias.

Apesar de eu gostar do formato diário e achar que ele funcionou bem nesse caso, sempre tenho um pouco de desconfiança de narradores em primeira pessoa. No caso de Mirella, tenho a sensação de que este é um diário feito para que os outros o leiam, o que significa que não temos realmente uma protagonista que diz tudo o que quer falar. Seus pensamentos e sentimentos são frequentemente bastante polidos e adequados, o que às vezes soa estranho vindo de uma menina adolescente. Senti falta de sentimentos feios vindos da Mirella, e de pensamentos mais cinzas, que acrescentassem uma complexidade maior à personagem.

De forma geral, Confissões de uma Adolescente Grávida traz algumas questões muito interessantes para se pensar a gravidez na adolescência e forma como a sociedade lida com isso, mas poderia ter se aprofundado um pouco mais nos sentimentos dos personagens (principalmente os ruins).

Onde comprar: Disponível em versão Ebook na Amazon.

(In)Verdades (Lu Ain-Zaila)

(In)Verdades é uma ficção ambiciosa sobre um mundo devastado pelas mudanças climáticas. A história se passa no ano de 2408, no território onde hoje é o Brasil, mas completamente diferente do que conhecemos. Por causa de eventos climáticos extremos ao longo de três séculos, a sociedade teve de se reorganizar e otimizar ao máximo o uso dos recursos naturais. Todo o consumo é controlado, o que dá margem a ação de grupos clandestinos, que buscam várias maneiras de burlar o sistema.

Nesse cenário, seguimos a protagonista Ena, uma jovem aspirante a oficial que tem o objetivo de garantir o frágil equilíbrio social estabelecido e lutar contra os grupos que pretendem perturbá-lo. Seus objetivos também têm relação com o seu pai, oficial do centro de investigações avançadas, morto em um atentado terrorista quando Ena era criança. Ao longo de (In)Verdades, vemos Ena passar por um ano de seu treinamento como oficial e descobrir um esquema criminoso para o roubo de recursos.

Um dos pontos mais interessantes do livro é justamente o mundo que ele retrata, totalmente diferente do nosso, mas ainda assim familiar por causa do contexto de catástrofes climáticas que tanto nos assombra atualmente. Meio devastado e meio futurístico, é um mundo que destaca a fértil imaginação da autora, que se esforça para trazer muitos detalhes fascinantes sobre o funcionamento dessa sociedade, assim como seus pontos frágeis. As relações políticas também são bastante interessantes e prendem a atenção do leitor, principalmente pela promessa de reviravoltas com o desenrolar da história.

A leitura, no entanto, nem sempre é fluida. A narração alterna entre primeira e terceira pessoa frequentemente, o que às vezes confunde e distrai o leitor. A construção dos personagens também poderia ser mais trabalhada, e os diálogos deixam a desejar, fazendo com que as relações – tanto de amizade, como de inimizade – entre os personagens não sejam muito verossímeis (com algumas exceções). Outro ponto que incomoda um pouco é que algumas falas fazem referência a questões sociais da nossa sociedade (como o racismo, por exemplo, dado que a protagonista é uma mulher negra), mas a narrativa não chega a apresentar como são essas questões no século XXV, o que faz com que algumas dessas falas também pareçam inverossímeis.

De modo geral, (In)Verdades é um feito de imaginação, que com certeza tem um apelo para os jovens atuais, mas que poderia ter sido melhor desenvolvido no que diz respeito aos diálogos e personagens.

Onde comprar: Disponível em versão Ebook na Amazon, ou como livro físico, direto com a autora.


Leia também #LeiaMulheres – 5 Livros Escritos por Mulheres para Ler no Mês de Agosto.