4 Motivos que me Fazem Querer ter Filhos (que provam que eu não devo ter filhos)

É. Tá decidido. Sem filhos para mim, então.

Daqui pouco mais de um mês eu completo vinte e oito anos de idade. Isso quer dizer que está acabando o prazo que eu estipulei para mim mesma aos dez anos de idade para ter o meu primeiro filho. Não sei da onde eu tirei que vinte e sete era a idade mágica para procriar – provavelmente do mesmo lugar que eu tirei que dezoito anos era o meu prazo final para perder a virgindade (se algum dia eu fizer terapia, preciso me lembrar de comentar essa minha obsessão com prazos em alguma sessão). Mas foi esse aí o acordo que a Lara-criança fez com a Lara-adulta: vinte e sete anos é a hora certa de empurrar um bebê vagina afora.

E agora cá estou, Lara-adulta, quebrando o pacto feito com a Lara-criança. E pior: não só eu não tive filho nenhum nesse ano que passou, como eu estou bem certa de que não quero ter filhos jamais. Motivos para isso eu tenho de sobra. Não sou muito fã de crianças, por exemplo. Simplesmente não sei como lidar com elas. Corro léguas quando alguém faz menção de querer me fazer segurar um recém-nascido. Não sei o que dizer para bebês.

Alguém aí deve estar dizendo: ah, mas isso aí você aprende rapidinho quando tiver filhos. E para essas pessoas eu digo: peraí, que tem mais. Eu nunca sonhei em ser mãe. Eu não me sentiria bem em trazer uma criança a esse mundo perverso onde a gente vive. Eu me preocupo com a superpopulação e a destruição do planeta. Eu sou muito ansiosa, por isso acho que sufocaria a criança sendo superprotetora (sério, eu já faço isso com o meu cachorro e ele já me disse que não gosta).

filhosOi, eu sou o Bleeker! A Lara às vezes vem me cutucar quando estou dormindo para ver se eu não bati as botas durante o sono. Ela é muito doida!

 

E eu sou meio egoísta. Eu gosto de fazer as coisas no meu tempo, de não ter que ficar cuidando de alguém o tempo todo, de dormir bem, de poder viver com pouco sem ter que me preocupar com dinheiro por causa do futuro incerto do(s) meu(s) filho(s).

Mas mais do que qualquer motivo que eu tenha para não ter filhos, são as coisas que me fazem ter vontade de ficar grávida que me convencem que eu nunca deveria tê-los. Coisas como…

Deve ser legal moldar uma pessoa do zero…

Por mais que eu saiba que uma criança pode acabar se tornando um adulto completamente diferente daquilo que os pais tinham em mente ao criá-la, eu não consigo me livrar dessa ideia de que um bebê é como uma massinha de modelar que eu posso transformar no que eu quiser. Parece muito divertido! Ainda mais porque eu simplesmente adoro ler tudo que tem relacionado à criação de filhos e adoraria colocar tudo em prática para ver se dá certo mesmo.

filhos

 

Filhos poderiam me ajudar a limpar a casa…

Se tem uma coisa que eu odeio é fazer faxina. E quem cuida da casa sabe, né – o trabalho nunca acaba. É nesses momentos em que eu estou limpando a privada, passando pano ou tirando o pó, que eu penso na maravilha que seria ter dois ou três pimpolhos para me ajudar – como pequenos elfos ajudantes! Já cheguei até a fantasiar com tabelas de divisão de trabalho em que Fulaninho, Cicraninho e Beltraninho se revezariam para lavar a louça, varrer a casa, tirar o pó, limpar as janelas, etc.

Roupinhas de criança são a coisa mais fofa desse mundo…

filhosOlha isso.
filhosE isso!

Aí eu só sei que ficaria bem louca vestindo essa criança com todo tipo de roupinhas lindas – QUE NÃO poderiam sujar de jeito nenhum, diga-se de passagem, a não ser que o Cicraninho quisesse passar o domingo lavando roupa.

Eu queria muito ver que aparência ele teria…

Gente, sério. Eu morro de curiosidade de saber como meus filhos seriam. Não só se eles puxariam meus cabelos ruivos ou a pele morena do meu marido…

filhosPequenos curupiras?

 

…mas como seria a combinação dos traços faciais, mesmo. Meu interesse também se restringe unicamente à aparência da criança. Não quero saber qual seria a personalidade dele, se seria bom em matemática como o pai, ou gostaria de ler como a mãe, ou whatever. Minha curiosidade é puramente superficial. Algo que só uma olhada já bastaria. Felizmente, a internet, mágica como ela é, já me ofereceu justamente a solução. Basta carregar uma foto minha e uma do meu marido, que ela me mostra como nosso bebê será! Não é mágico?

filhosUau. Pronto. Se eu tinha alguma dúvida antes, agora elas acabaram. Definitivamente não teremos filhos.
Comentários do Facebook